Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Gestor de Projeto Moderno

O Gestor de Projeto Moderno

04
Ago19

Como combater o hábito da preguiça?

Luís Rito

Olá a todos,

 

Antes de mais, estamos em pleno Agosto, e como tal, para quem se encontra de férias, aproveitem ao máximo as tão merecidas férias .

 

Hoje vamos falar de preguiça. Não sei se também vos aconteceu o mesmo, mas quando era adolescente e sabia que tinha que ir estudar para um teste, subitamente dava-me vontade de ir arrumar o quarto (e arranjava motivos para dizer a mim próprio que arrumar o quarto era fundamental naquela hora). Todos nós, temos de uma forma ou de outra alguma preguiça para fazer algo que é difícil ou que não nos apetece.

Tudo isto tem um motivo, o nosso cérebro está otimizado para fazer sempre algo que já conhecemos e com o qual estamos confortáveis (para poupar energia), e procura sempre também o descanso e o conforto. É por isso que custa tanto ir ao ginásio, ou ir estudar para um teste. O nosso cérebro vai tentar "enganar-nos" de várias formas, para que não o façamos. Começamos a pensar, hoje tive um dia difícil, mereço ir descansar, que se lixe o treino, ou dizemos..."um dia não são dias", e lá te baldas ao que deverias estar a fazer. O problema é que depois existe uma forte probabilidade de te sentires culpado por não teres feito aquilo que devias ao invés de estares no teu sofá a contar carneiros .

 

garfild-garfield-multfilm.jpg

 

Pois bem, eu acredito que existem momentos para tudo, momentos para relaxar, para descansar, para não fazer nada (e acreditem que consigo mesmo estar sem fazer nada!!) e outros onde tens que trabalhar e perseguir os teus objetivos. Deixo-te abaixo algumas dicas que podes começar a aplicar já a partir de hoje.

 

Encontra a tua motivação

 

Sem motivação não vais conseguir chegar onde pretendes. Quer acredites quer não, o teu maior inimigo és tu próprio. Vão existir momentos em que vais duvidar de ti próprio e onde te vai apetecer desistir e mandar tudo às urtigas. É por isso que deves começar sempre por visualizar os benefícios de fazer essa tal tarefa que não te apetece. Se não o fizeres, existe uma grande probabilidade de a começares a procrastrinar. Por exemplo, no meu caso, quando me levanto todos os dias para ir fazer exercício físico o meu cérebro reage de imediato. Começo a pensar em como estou cansado, ou em como está frio ou a chover. O que me move é que penso sempre no porquê de o estar a fazer e no quão bem me vou sentir depois.

De forma semelhante, quando todas as semanas escrevo uma artigo para este blog penso em como posso estar a ajudar alguém (nem que seja só um pouco). Gosto muito de partilhar informação e coisas que fui aprendendo ao longo do tempo. Tal como adoro ler outros blogs ou ver filmes do Youtube onde aprendo algo novo, a minha ambição é também ensinar a quem lê este blog algo novo que possam utilizar no seu dia-a-dia, é esse o meu grande objetivo. Com uma missão bem definida, fica bem mais fácil fazermos aquilo que tem que ser feito.

 

Começa com algo simples

 

Simplesmente começa. O primeiro passo é sempre o mais difícil, vencer aquela inércia inicial é duro. Diria que a grande maioria das pessoas leva algum tempo até ficar "in the zone", ou seja, até vencer aquela resistência inicial e ficar totalmente focada naquilo que está a realizar. Tal como um automóvel que quando arranca necessita de aquecer o óleo antes de começar a acelerar, nós somos iguais. É por isso que uma boa estratégia passa por começares por realizar uma tarefa mais simples, até entrares em velocidade de cruzeiro e poderes abordar temas mais complexos. Na realidade, a tarefa simples apenas tem o propósito de vencer a resistência inicial. Se começas por algo complicado existe uma forte probabilidade de não o conseguires realizar de imediato, o que te pode levar a desistir. Portanto, escolhe algo simples, que saibas que és capaz de realizar sem problemas. Quando acabares essa tarefa vais ganhar um boost de motivação, e acabar por ficar mais "ligado", permitindo-te fazer tarefas mais complexas e difíceis.

 

Não comas o elefante inteiro

 

Dá um passo de cada vez. Se tentares pensar em tudo o que tens que fazer para uma grande tarefa, vais ficar submerso em dúvidas e com vontade de desistir. Tens de tentar ao máximo partir essa grande tarefa em bocados mais pequenos. O segredo é fazer um plano ou uma lista de tarefas a realizar e ir fazendo-as de forma constante e regular. De cada vez que terminares uma delas vais estar mais perto do teu objetivo e isso vai-te dar motivação extra para continuar. Por exemplo, um empreendedor que começa a fundar uma empresa, pode facilmente pensar em tudo o que tem para fazer, criar algo de valor (criar & investigar), perceber como o vai comunicar ao seu potencial cliente (marketing), como o vai vender (vendas), de que forma o vai entregar e como vai dar suporte aos seus futuros clientes (operações) e o que vai cobrar (finanças). Cada um destes pontos tem inúmeros sub-pontos em que temos que nos focar, mas se cairmos no erro de tentar definir logo tudo no momento zero existe uma forte possibilidade de nunca arrancarmos, já que vai sempre faltar qualquer coisa. Acredito que neste tipo de exemplos, devemos ter a capacidade de partir esta grande tarefa em tarefas mais pequenas e mais fáceis de atingir, e começar! Começar, é o maior conselho que posso dar. 

 

Elimina as distrações

 

Penso que não há muito a dizer neste caso. Elimina ao máximo as distrações, esquece as redes sociais ou a TV, esquece as notificações no teu telemóvel e foca-te totalmente na tarefa que tens em mãos. Sempre que és interrompido, existem alguns estudos que defendem que podes levar até 23 minutos até estares novamente a trabalhar a todo o gás, portanto tenta ao máximo aproveitar quando estás a trabalhar a 200%. Diria que existe uma exceção que é a música. No meu caso ajuda-me a motivar, e se for a música certa, pode até dar-me energia em momentos em que me sinto mais cansado.

 

Dá a ti próprio recompensas

 

Por último mas não menos importante, dá recompensas a ti próprio sempre que terminas uma tarefa. Por exemplo, diz a ti próprio que quando acabes uma tarefa podes ir ver um episódio daquela série que adoras, ou que após uma semana de treino podes no fim de semana comer o tal gelado ou bolo que te dá tanto prazer. Apenas tens que ter em atenção uma coisa, a recompensa deve estar associado à dimensão da tarefa. Por exemplo, não adianta ires comer um gelado sempre que fazes um treino, ou ir ver uma série de 50 minutos após fazeres uma tarefa que te levou 20m. Quando maior e mais complexa a tarefa maior o benefício, não te enganes a ti mesmo.

 

Por hoje é tudo, espero que tenhas gostado, até à próxima 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro Liberdade Financeira